Pimenta faz mal para o fígado?


Pimenta faz mal para o fígado?

Uma alimentação balanceada e rica em alimentos leves e saudáveis é uma excelente receita para quem deseja estar com a saúde sempre em dia. Mas, muitas vezes nos deparamos com algumas dúvidas em relação a um determinado tipo de alimento.

E desta vez vou falar um pouco sobre a pimenta, este tempero responsável por proporcionar um sabor ainda mais suculento a qualquer receita, mas que gera muitas dúvidas em quem o consome. Afinal, será que a pimenta faz mal para o fígado? Pode ser consumida diariamente? Tudo isso e muito mais você vai conferir agora!
Fígado em destaque

Qual a relação entre pimenta e o fígado?

Existem diversos tipos de pimentas, desde as mais fracas até mesmo aquelas bem ardidas que arde até o olho e deixa qualquer um vermelho só de experimentar. E claro que qualquer receita fica ainda mais saborosa com uma pitada de pimenta, não é mesmo? Nos dias de hoje, não são só os pratos salgados que estão levando a famosa pimenta, até mesmo as receitas doces já aderiram ao paladar apimentado.

É possível encontrar até brigadeiro de pimenta! Mas, a pergunta que não se quer calar é: pimenta faz mal para o fígado? Bem, esse alimento super rico em nutrientes e substâncias boas para o nosso organismo é capaz de agir como anti-inflamatório, anticancerígena, ajuda a diminuir os níveis de colesterol e também auxilia na digestão.

Porém, assim como todo alimento, se consumido em excesso pode acabar prejudicando o organismo, ainda mais para aquelas pessoas que possuem problemas no fígado. Isso porque a pimenta é um alimento fortíssimo e que pode afetar diretamente o fígado, ou qualquer outro órgão, prejudicando a saúde.

Pimentas

Porém, a grande dica para não excluir de vez o tempero da sua alimentação é saber consumir a dose certa deste tempero. Afinal, embora possa se tornar prejudicial para o fígado em grandes quantidades, a pimenta não é nenhum vilão e possui muitos benefícios.

Você sabia que ela, até mesmo, protege o fígado de cirrose? Chocado?

Por isso, uma a duas pitadas na comida é a dose suficiente para não fazer mal ao seu organismo e ainda saborear uma deliciosa receita. Além disso, outra dica importante para evitar complicações é utilizar pimentas com menor ardência, para trazer um gostinho bom sem “soltar fogo pela boca”.